terça-feira, 2 de março de 2010

A GUERRA NAS TRINCHEIRAS NA 1ª PESSOA

"Nas trincheiras não tenho outra ocupação para além de  escrever e conversar com os meus colegas. A 300 metros, os mortos de ontem continuam deitados. Todos têm de admitir que não há nada mais terrível que a guerra."

Georg Schenk, soldado alemão, Setembro de 1914

"Eu não tomo banho há seis semanas e não devo tomar em breve, já que nem penso usar a pouca água de beber que recebo no meu cantil para fins de limpeza."

Albert P. Smith, soldado americano, Outubro de 1918

"Conseguem imaginar-me numa tarde de Domingo, sentado no chão ou enterrado na lama, sem me ter barbeado ou mudado as minhas roupas e botas há cinco dias. Temos muita companhia de ratazanas e ratos (...).Há dias um soldado estava a jantar e um atravessou-se no seu prato, ele espetou-lhe o garfo e comeu-o, depois continuou como se nada se tivesse passado. De facto, é dramático que uma nação tão civilizada esteja enterrada numa barbárie como esta guerra (...).Vivemos como minhocas, nunca vemos a luz do dia, enterrados, ao longo de oito dias apenas vemos os muros da trincheira."

Carta de Thomas ( soldado inglês) aos seus pais a 1 de Novembro de 1915
( foi morto em combate a 27de Novembro de 1917 )

Sem comentários:

Enviar um comentário