quarta-feira, 3 de março de 2010

UM DIA NA GUERRA DAS TRINCHEIRAS

11 de Novembro de 1918

O meu nome é Jorge e felizmente estou vivo.

Vi muitos colegas soldados a morrerem  ao meu lado, sem se quer os poder socorrer.

Já voltei a casa, a minha família ficou muito feliz, pois pensavam que eu estava morto.
Passámos os piores anos da nossas vidas, não só por ver outros soldados morrerem,  mas também por passar frio, fome e também algumas doenças.

Cheguei a casa sem doenças e vivo para contar esta história.

Estavam lá as trincheiras onde me pude abrigar de ataques de soldados adversários.
Acho muito injusto resolverem as coisas de uma maneira tão cruel, onde morrem milhares de soldados com uma vida inacabada.

                              Agradeço a Deus por ainda estar aqui.

                                                                                                                           Teu Jorge.
Trabalho realizado por:
-Eduarda Barbosa Nº 8;
-Marlise Barradas Nº 16.

6 º A

Sem comentários:

Enviar um comentário