sexta-feira, 5 de março de 2010

Um dia nas trincheiras  

Minha querida família   
                                        25-Setembro-1914

Estes dias têm sido muito difíceis para mim e para os meus companheiros.Aqui, os dias passam muito devagar , e não fazemos mais nada do que conversar uns com os outros, escrever pequenos apontamentos sobre estes terríveis acontecimentos em pequenas folhas, amarrotadas dentro dos bolsos sujos das minhas calças, que tenho vestidas há mais de 5 semanas.

Não há comida, temos que comer algumas das coisas que nos aparecem à frente. Já tenho pouca água, o meu cantil  já esta no fim, e tenho muita sede.
Esta vida de guerra não é boa, é muito sofrimento, muitos tiros, muitas mortes, e não temos assistência médica quando é necessária.

De facto, sou um pobre prisioneiro da guerra, cheio de tristeza e dores. Sem poder fazer nada, quando vejo alguns companheiros a morrerem, devido às condições climatéricas, e aos cruéis tiros das metralhadoras.

Bem, tenho muitas saudades vossas!!

Não vos vou dar certezas, de que posso voltar a mandar outra carta, porque aqui, as condições de vida são tão más que nada posso garantir. Espero em breve poder mandar mais notícias.

Um  grande abraço, deste que tem muitas saudades vossas!!

Joaquim Constâncio

Trabalho realizado por:
-Tiago Pinto Nº24

6ºA

Sem comentários:

Enviar um comentário